Pensa em comprar móveis planejados? Fique atento para evitar problemas

Pensa em comprar móveis planejados? Fique atento para evitar problemas

07 de agosto, 2018
Falta de cuidados básicos pode gerar muita dor de cabeça ao consumidor

As metragens cada vez menores dos imóveis e a consequente necessidade de aproveitar cada centímetro dos espaços colocam em evidência os móveis planejados. Além da praticidade, o mobiliário sob medida tem se tornado o sonho de consumo também devido à tecnologia avançada, à grande variedade de materiais e design inovador. Mas para que o projeto não vire dor de cabeça, o consumidor precisa tomar cuidados similares aos da aquisição de um apartamento na planta.

Problema com móveis (planejado ou fabricado em larga escala) foi a oitava reclamação mais comum nas unidades do Procon da Baixada Santista, conforme levantamento publicado dia 13. Apenas os postos de Santos, esse tema motivou cerca de 500 reclamações no ano passado. Má prestação do serviço, falhas no projeto, material diferente do ofertado e prazo de entrega não cumprindo foram as principais queixas.

O coordenador do Procon Santos, aconselha a comparar preços e a qualidade dos materiais utilizados na confecção dos móveis antes de contratar o serviço. Ele pondera ainda buscar referências com quem já tenha feito o serviço com a empresa ou o profissional que se pretende contratar.

“Os cuidados são os mesmos de qualquer relação comercial. Informe-se sobre a reputação da empresa e quais reclamações existentes naquele estabelecimento”. Boas fontes podem ser as páginas na internet do Procon, Reclame Aqui, Proteste ou no Instituto de Defesa do Consumidor (Idec). Indica observar nesses endereços o índice de resolução dos problemas apresentados, além do tempo que se levou para atender as reivindicações do consumidor.

Fixar a data

A advogada especialista em Direito do Consumidor, orienta a fixar a data para montagem em um dia em que alguém possa estar na residência, acompanhando o trabalho da empresa, evitando assim a entrega de mobiliário diferente do negociado. Também previne ou se registra eventual prejuízo, como quebra de peças da casa ou dano no produto.

Ela aconselha que a data esteja estipulada no acordo de venda. “É importante ler esse documento e rubricar todas as folhas antes de assinar. Isso evita que páginas sejam trocadas. O consumidor deve exigir uma cópia desse contrato”.

Conforme pondera, o texto deve ser claro e detalhado sobre o material e acabamento que será usado na confecção dos móveis. É preciso conter ainda a descrição das garantias do serviço e o tipo de assistência que o consumidor terá.

Cuidados com o projeto

Acrescenta, pedir ao vendedor rubricar imagens do projeto aprovado pelo cliente e anexá-la ao acordo. “Assim, torna-se um adendo do contrato. Faz-se importante observar se na planta do móvel tem um fundo que não existe, uma porta que não abre. Tomando esses cuidados, o consumidor está bem amparado”.

Deve-se evitar o pagamento do valor total antes da entrega dos itens comprados. O advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), sugere que seja exigido no contrato cláusulas que garantam a pena de multa pelo descumprimento do combinado no ato da compra.

“Os artigos 30 e 35 do Código de Defesa do Consumidor protegem contra descumprimentos de oferta. E uma vez definido em contrato, o cliente poderá exigir o cumprimento, aceitar outro produto equivalente ou rescindir o acordo, com direito à restituição de quantia paga antecipadamente, mais eventuais perdas e danos”, diz.

Fonte: A Tribuna


Comentários

Procurando móveis planejados de qualidade? Converse conosco